Fale conosco

pedale.piaui@yahoo.com.br

Ciclovias, um bem necessário

Usar a magrela como principal meio de transporte na vida cotidiana é um sinal e tanto de civilidade. Além de fazer bem ao corpo, quem pedala cuida do meio ambiente por inteiro. Infelizmente, no Brasil ainda são poucas as cidades que investem em ciclovias. Mas a boa notícia é que cada vez mais a bicicleta vem sendo considerada uma aliada contra o caos urbano. Apesar de discretas, as ciclovias ganham importância no discurso do poder público e da sociedade. Confira abaixo bons exemplos de ciclovias pelo país afora e repense: será que o carro é mesmo a melhor opção? 

Rio de Janeiro
Todo mundo sabe que carioca adora esportes, praia, lazer e uma vida saudável, acima de tudo. Não é de se estranhar, portanto, que a capital fluminense seja a cidade brasileira com mais ciclovias. São 160 km entre praias e lagoas. 

São Paulo
Conhecida pelos grandes engarrafamentos, é de surpreender que São Paulo tenha tão poucas ciclovias. Ainda é difícil fugir do trânsito sobre duas rodas, mas se você quiser relaxar no fim de semana, o CicloFaixa de Lazer é uma boa pedida. O projeto oferece faixas exclusivas para bicicletas em ruas da cidade todos os domingos, das 7h às 14h. O legal é que o trajeto da ciclofaixa passa por quatro dos principais parques da cidade: o Ibirapuera, o Parque das Bicicletas, o Villa-Lobos e o do Povo. 

Litoral paulista
Se na capital paulistana as bicicletas possuem um espaço ainda tímido, o mesmo não se pode dizer das cidades do litoral do Estado. Numa ação conjunta das prefeituras, hoje é possível viajar da Praia Grande até o Guarujá quase que integralmente por ciclovias ou ciclofaixas. Só na Praia Grande existem 72 km de percurso exclusivo para bicicletas – o dobro da cidade de São Paulo. Já em Ubatuba, nove trechos foram inaugurados nos últimos anos. O resultado desse investimento é que, somadas, as ciclovias das doze principais cidades do litoral paulista somam 266 km. Uma rota para ninguém colocar defeito, certo? 

Aracaju
Com 62 km de ciclovias, a capital sergipana é um belo exemplo de cidade amiga dos ciclistas. E o objetivo é um só: transformar Aracaju na capital da bicicleta. A cidade conta ainda com três bicicletários mantidos pela prefeitura. Com uma malha de tamanho considerável, as ciclovias em Aracaju servem tanto para o lazer quanto para ir e voltar do trabalho. 

Afuá (PA)
A pequena Afuá, na ilha do Marajó, no Pará, é uma cidade singular. Nela, não há carros - ou seja, tudo é ciclovia! Toda a locomoção é feita por bicicletas. Por estar situada numa área de várzea, repleta de canais e palafitas, as bicicletas se tornaram o principal meio de transporte. Destaque para o “bicitáxi”, um veículo construído a partir da junção de duas bicicletas em que o passageiro também ajuda a pedalar, e a bicilância, a ambulância local. 

Ação popular
Se a iniciativa pública ainda não valoriza tanto as ciclovias, existem inúmeras iniciativas independentes que visam juntar esforços para propagar a bicicleta como um importante meio de transporte. Ponto de encontro entre os principais grupos de ciclistas do Brasil, o blog Bicicleta na rua traz informações quentinhas sobre o mundo das bikes.

E quem está cansado de esperar por mais ciclovias pode se inspirar na iniciativa de alguns jovens da cidade mexicana de Guadalajara. Em pouco tempo, eles criaram uma ciclovia na cidade por conta própria, provando que o que falta mesmo é boa vontade. Veja o vídeo!

Você conhece o movimento cycle chic? O site Adoro Maquiagem, da Natura, conta mais sobre essa onda de pessoas estilosas que andam de bike pelas grandes metrópoles. Vai lá!

Fonte desconhecida

Um comentário:

Carola Oliveira disse...

3Mas vale ressaltar que apesar do Rio de Janeiro ser a cidade com maior malhar cicloviária, esta é voltada para o turismo e lazer. Eu por exemplo tenho que enfrentar o transito caótico e motoristas raivosos diariamente enquanto pedalo para o trabalho.